Para Baixar Em Pdf:

Simulado Concurso 4 Professor De História

1-Alguns estados tornaram-se centro do poder
político, econômico e militar mundial do período pósSegunda
Guerra Mundial. Em torno deles, outros países
assumiram o papel de figurantes ou até mesmo de vítimas.
Um dos protagonistas foram os Estados Unidos. A
União Soviética, a outra potência militar, assumiu a
condição de contraponto, exercendo também um papel de
centro aglutinador de aliados fora da esfera de influência
norte-americana.
O período pós-Segunda Guerra Mundial é
conhecido como Guerra Fria. Acerca desse contexto
histórico (antes, durante e depois), assinale a alternativa
correta.
VICENTINO, Cláudio;DORIGO, Gian Paolo. História geral e do Brasil,
Editora Scipione, p. 691 (com adaptações).
(A) Os Estados Unidos e a União Soviética
terminaram a Segunda Guerra Mundial como
inimigos, desenvolvendo-se assim as raízes da
Guerra Fria, em termos políticos, ideológicos e
militares, no qual as demais nações se
posicionariam de um dos lados.
(B) O apoio da União Soviética aos países do Eixo foi
determinante para se configurar as diferenças
ideológicas entre as duas potências da época.
(C) Com o objetivo de combater o comunismo e a
influência soviética, o presidente estadunidense,
Harry Truman, proferiu um discurso no qual
afirmou que os Estados Unidos se posicionariam
a favor das nações livres que desejassem resistir
às tentativas de dominação.
(D) Em 1947, o secretário de Estado George Marshall
lançou o Plano Marshall, programa de
investimentos de recuperação econômica para
os países europeus em crise após a guerra. Esse
oferecimento estendeu-se e foi aceito por todos
os países da Europa, tanto Ocidental como
Oriental.
(E) A Crise dos Mísseis Cubanos, em 1961, foi um dos
momentos mais agudos do período da Guerra
Fria. Nesse episódio, a União Soviética descobriu
mísseis estadunidenses apontados para a Ilha de
Cuba, promovendo um bloqueio continental e
anunciando um ataque caso os Estados Unidos
não desativassem seu poderio bélico.

2-A peculiaridade da Guerra Fria era a de que, em
termos objetivos, não existia perigo iminente de guerra
mundial. Mais que isso: apesar da retórica apocalíptica de
ambos os lados, mas sobretudo do lado americano, os
governos das duas superpotências aceitaram a
distribuição global de forças no fim da Segunda Guerra
Mundial, que equivalia a um equilíbrio de poder desigual,
mas não contestado em sua essência. A URSS controlava
uma parte do globo, ou sobre ela exercia predominante
influência e não tentava ampliá-la com o uso de força militar. Os Estados Unidos exerciam controle e
predominância sobre o resto do mundo capitalista, além
do hemisfério norte e oceanos, assumindo o que restava da
velha hegemonia imperial das antigas potências. Em troca,
não intervinha na zona aceita de hegemonia soviética.
HOBSBAW, Eric. Era dos extremos: o breve século XX (1914-1991).
2.ed. Editora Companhia da Letras, 2008. p. 224.
Considerando do texto apresentado e tendo como base as
repercussões geopolíticas da Guerra Fria, assinale a
alternativa correta.
(A) A Organização do Tratado do Atlântico Norte
(Otan), criada em 1949, constituiu-se em uma
aliança econômica com o intuito de bloquear os
avanços soviéticos na Europa Ocidental.
(B) O Pacto de Varsóvia, engendrado pela União
Soviética em 1955, surgiu em represália à Otan e
tinha como único objetivo proteger os países
socialistas da Europa contra possíveis ataques do
mundo capitalista.
(C) Em 1961, foi construído o Muro de Berlim que
separou fisicamente a Alemanha em duas
porções (Ocidental e Oriental). Essa edificação
tornou-se um símbolo ideológico da divisão da
Alemanha e da Guerra Fria.
(D) A Cortina de Ferro, expressão cunhada por
Winston Churchill para se referir ao Oeste
Europeu, foi contemplada pela União Soviética
com recursos econômicos por intermédio da
COMECON.
(E) À época, a teoria do equilíbrio do terror foi
justificada pela improbabilidade de uma guerra
de fato, em face da elevada belicosidade nuclear
das duas superpotências.

3-O Consenso de Washington representou um conjunto de
medidas neoliberais que deveriam ser executadas pelos
países latino-americanos. Entre essas medidas, podem-se
citar: disciplina fiscal, processo de privatização de
empresas estatais, abertura comercial e
desregulamentação das leis trabalhistas. A concessão de
empréstimos e financiamentos pelo Fundo Monetário
Internacional (FMI) e o Banco Internacional para a
Reconstrução e o Desenvolvimento (Bird) estavam
vinculados à adoção do receituário neoliberal.
A esse respeito, assinale a alternativa que indica o
primeiro presidente a adotar o neoliberalismo no País.
(A) José Sarney.
(B) Fernando Collor de Mello.
(C) Itamar Franco.
(D) Fernando Henrique Cardoso.
(E) Luiz Inácio Lula da Silva.

4-A História, ajudando a explicar a realidade, pode
ajudar ao mesmo tempo a transformá-la. A História, como
as outras formas de conhecimento da realidade, está
sempre se constituindo: o conhecimento que ela produz
nunca é perfeito ou acabado. Historiadores, filósofos,
sociólogos e politicólogos estão sempre debatendo sobre
isso.
BORGES, Vavy Pacheco. O que é história.
Ed. Brasiliense (com adaptações).
Com base na análise desse texto, assinale a alternativa
correta.
(A) A construção da História deve-se essencialmente
ao processo de os fatos acontecerem, não
importando o momento e o local.
(B) A História é resultado do local e do momento em
que os fatos acontecem, pois a historiografia
afirma que a História não se repete.
(C) A História somente depende do local onde ela
ocorre, pois o tempo é apenas uma forma de
orientação temporal, sem interferência no
motivo dos fatos históricos.
(D) A História é resultado do tempo em que os fatos
acontecem, sendo o local apenas o palco para a
ocorrência dos fatos, sem importância no
processo de desenvolvimento histórico de uma
civilização.
(E) O tempo unido ao local em que o fato ocorre é
determinante para acontecer a história e a
determinação do processo de evolução social,
política e econômica de uma civilizaçao.

5-A historiografia brasileira é recente em sua evolução.
Vários são os pensadores que influenciaram nas
transformações que deram mais consistência ao processo
evolutivo dessa ciência. De acordo com a historiografia
brasileira, assinale a alternativa que indica o principal
pensador a influenciar nas transformações atuais
ocorridas.
(A) Francisco Iglesias, pensador brasileiro.
(B) Roland Mousnier, pensador inglês
(C) Jacques Le Goff, pensador francês.
(D) Karl Marx, pensador alemão.
(E) Michel Foucault, pensador francês.

6-A presença do cristianismo e da
institucionalização da Igreja não significou o
desaparecimento de todas as práticas religiosas pagãs.
Com efeito, são mais ou menos constantes as queixas de
bispos e dos clérigos sobre a manutenção das práticas
pagãs. Acerca do texto apresentado, assinale a alternativa
correta.
(A) A instituição a que o texto se refere foi erguida no
período medieval a partir do fortalecimento da
Igreja Católica Apostólica Romana.
(B) O Clero Regular era integrado aos homens e à
sociedade. Era composto pelos bispos, pelos
arcebispos e pelos padres.
(C) O Clero Secular era composto por monges, por
frades, por freis, por freiras e por frades, sendo
dedicado à meditação e as pesquisas de assuntos
religiosos.
(D) O monasticismo era o ato de cristãos se isolarem
para encontrar uma vida de desprendimento e
isolamento das questões mundanas.
(E) Existiam os padres copistas que eram
responsáveis por copiar as Sagradas Escrituras e
os textos clássicos greco-romanos.

7-A historiografia, como a historia, parece se
repetir – com variações. Muito antes do nosso tempo, na
época do Iluminismo, já se tratava a hipótese de que a
história escrita deveria ser uma narrativa dos
acontecimentos.
BURKE, Peter. A escrita da história – novas perspectivas.
Editora Unesp, 1992. p. 327.
A respeito do texto apresentado, assinale a alternativa
correta.
(A) A história dos acontecimentos associa-se à ideia
de que o historiado deve narrar os
acontecimentos, sem a necessidade de analisar
as suas estruturas.
(B) A história escrita, inclusive a história estrutural,
assume a condição de história narrativa, uma
consequência dos primeiros passos da história
como ciência na Grécia Antiga com, por exemplo,
Tucídides.
(C) A complexidade do estudo da história a afasta de
todas as outras ciências como forma de
neutralizá-la e impedir que sofra alterações em
suas estruturas.
(D) Infere-se do texto que a história não se repete,
pois os fatos são progressivos e estão sempre em
fase de evolução.
(E) Os historiadores que se associam aos Annales
não concordam com a teoria defendida pelo
texto de que a história se repete.
www.pciconcursos.com.br
8-Desde muito cedo que os escritores e
historiadores costumam privilegiar a história da cidade
de Atenas em relação à das outras cidades gregas. Muitas
vezes, a própria história do povo grego se confunde com a
desta cidade. Não sendo senão uma entre as muitas
cidades do mundo grego, Atenas é, contudo, aquela em
que o gênio grego mais fortemente se fez sentir e,
igualmente, aquela de que temos mais testemunhos
escritos e arqueológicos.
FERREIRA, Maria Teresa; RODRIGUES, Miguel.
História. Perspectivas & realidades. Lisboa. p. 84.
Com relação ao texto apresentado, assinale a alternativa
correta.
(A) O período histórico retratado pelo texto referese
ao processo de centralização política de toda a
Grécia com capital em Atenas.
(B) A cidade-estado descrita pelo texto destacou-se
por ter desenvolvido um sistema de produção
agrícola subsistente que manteve estável a sua
política e a sua sociedade.
(C) A democracia desenvolvida pelo aristocrata
Clístenes em Atenas tinha como princípio a
participação de todas as classes da política da
cidade-estado, mas o objetivo implícito era o de
garantir benefícios para a aristocracia por meio
da demagogia.
(D) O período político mais conflituoso da sociedade
ateniense foi o da tirania, quando os então
governantes não foram capazes de estruturar
uma política de benefícios às classes sociais de
Atenas.
(E) Não há fonte histórica suficiente para descrever
a evolução política ateniense, o que leva os
historiadores a se prenderem a fontes orais e
mitológicas para a compreensao da sua historia
9-Em 410, Alarico, rei dos Visigodos, entra como
vencedor na cidade de Roma, que ele entrega à pilhagem
de seus guerreiros. Em 800, Carlos, rei dos Francos, entra
em Roma, acolhido pelo papa para aí ser coroado
imperador. Como foi possível que no espaço de quatro
séculos o Bárbaro germânico, originalmente invasor
brutal, se haja transformado em restaurador do Império
Romano? Por que razões os mesmos povos que no século
V fazem desaparecer o Império, vão ver, no século IX, um
deles tentar fazer renascer uma construção política
extinta?
BALARD, Michel; GENET, Jean-Philippe; ROUCHE, Michel. A idade média
no Ocidente – dos bárbaros ao renascimento. 1a ed. Lisboa: Publicações
Dom Quixote, 1990.
Acerca desse texto, assinale a alternativa correta.
(A) Os conflitos territoriais ocorridos no século V a
que o texto se refere foram determinantes para a
queda definitiva do Império Romano e a
estruturação em reinos bárbaros erguidos
principalmente no Oriente do antigo Império.
(B) O Reino dos Francos foi formado a partir de
disputas lideradas por seu primeiro rei, Clóvis,
contra outras civilizações germanas e por
expansão diplomática diante das tribos que
ocupavam a região da Gália, onde se estabeleceu
o reino.
(C) O prefeito do paço, Carlos Martel, destacou-se ao
impedir o avanço dos mouros, que já ocupavam a
Península Ibérica como resultado do
expansionismo árabe sobre o Reino dos Francos.
(D) O prefeito do paço, Pepino – o Breve, tinha como
um de seus principais objetivos assumir o trono
dos francos e estabelecer uma política de
expansionismo territorial, o que garantiu, após
ele ascender ao trono, a formação do Império
Carolíngio.
(E) O Tratado de Verdun assinado durante o Império
Carolíngio definiu as medidas necessárias para a
formação do sistema feudal diante das prováveis
invasões de húngaros e árabes diante do
fragilizado Império.

10-A teoria da evolução é aceita entre cientistas e
contestada por alguns grupos religiosos que defendem o
princípio criacionista, pelo qual os seres humanos
descendem de Adão e Eva, conforme o relato bíblico.
NEVES, W. A.; PILÓ, L. B. O povo de Luzia:
em busca dos primeiros americanos.
Quanto ao texto apresentado, assinale a correta.
(A) A teoria da evolução refere-se a pesquisas de
caráter científico, o que torna o princípio
criacionista inadmissível para a análise histórica
dos fatos.
(B) Infere-se do texto que o processo de evolução do
homem está associado aos mesmos princípios
tanto cientificamente quanto mitologicamente.
(C) As fontes históricas de pesquisa podem ser
voltadas tanto para explicações científicas,
mesmo quando pautadas em hipóteses, quanto
para tradições, religiões e mitologias de uma
sociedade.
(D) A teoria da evolução relata fatos comprovados
cientificamente para a explicação das
características do homem contemporâneo.
(E) A explicação religiosa para a evolução do homem
foge do contexto científico apenas na forma de
escrever as palavras e expressões, que são
metaforicamente equivalentes às definições
científicas
Gabarito

1-C
2-E
3-B
4-E
5-E
6-D
7-B
8-C
9-C
10-C

 

Simulado Concurso 4 Professor De História

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × três =

PROJETO QUALIFIQUE-SE!

CURSOS GRATUITOS E TODOS COM CERTIFICADO

CERTIFICADOS LIBERADOS PELO MEC – DECRETO 5.154/2004. Certificados Válido em TODO O BRASIL. Útil para currículo, horas complementares na faculdade, concursos, seleções, progressão funcional, empregos, …